Produção independente

Antes de mais importa esclarecer o que é produção independente. Ocorre quando uma mulher decide sem qualquer companheiro masculino ter um filho.

O procedimento pode ter apoio de um profissional de saúde nesse caso estamos perante uma produção independente utilizando procriação medicamente assistida ou pode ocorrer por inseminação artificial caseira.

Em ambos os casos é necessário um dador de esperma no primeiro caso a mulher não tem qualquer controlo e o dador é escolhido por um médico no segundo a mulher tem controlo e pode utilizar os seus critérios.

Ser mãe solteira produção independente

A dada altura a mulher pode pensar na sua vida e decidir: Quero ter um filho por produção independente. Ser mãe solteira não é fácil, mas se a decisão for ponderada ser mãe solteira por produção independente é uma decisão que não traz arrependimentos.

Por circunstâncias da vida muitas mulheres não têm companheiro ou companheira mas tem o desejo de ser mães. Nestes casos a mulher deve ir em frente. Um filho muda totalmente a vida de uma pessoa para melhor e dá toda uma nova alegria de viver.

Uma mãe solteira não tem de criar o filho totalmente sozinha, pode envolver os avós da criança tios amigos etc., de certeza que não faltaram pessoas disponíveis para ajudar a que o filho produção independente que nasça seja um bebe feliz e bem desenvolvido.

Ao utilizar a produção independente a mãe garante que será a única decisora em tudo o que envolva a criança desde a gravidez até à idade adulta. Quando a criança é criada no seio de uma relação heterossexual e a relação termina nada garante que a mãe continue com a criança, por lei a criança poderá ser entregue ao Pai. Quando não existe pai há a garantia que isso não pode acontecer.

Mãe solteira por produção independente

Cada vez há mais mulheres a optar por engravidar produção independente, é possível encontrar relatos dessas mães em sites de notícias online, no site demaeparamae.pt, ou mesmo em grupos Facebook. Há também muitas celebridade que optaram por ser mãe solteiras produção independente alguns exemplos são Karina Bacchi, Lucy Liu, Preta Gil, e Mariana Kupfer entre muitas outras

Produção independente em Portugal

Em Portugal há cada vez mais mulheres a ter produção independente de filhos e a terem uma gravidez sozinhas. Actualmente não existem quaisquer proibições legislativos.

O procedimento pode ser realizada em bancos de esperma público de forma gratuita mas a espera chega a ser de vários anos. Em alternativa, as clínicas de infertilidade também realizam procedimentos de inseminação artificial. Mas os preços são muito elevados e cada nova tentativa acarreta mais custos. Em ambos os casos a mulher pode passar por uma avaliação psicológica, isso coloca mulheres solteiras, ou casais casal homoafectivos em clara desigualdade face a uma mulher heterossexual com companheiro dado que qualquer mulher nessas circunstâncias pode ser mãe sem qualquer avaliação psicológica.

Dados os tempos de espera dos bancos de esperma, os custos das clínicas de inseminação e toda a burocracia envolvida em ambos os casos. Algumas mulheres optam por utilizar um dador de esperma anónimo para realizar uma inseminação artificial caseira. Esse processo é simples, rápido tem zero burocracias até ao momento da concepção.

Registo

Na seguinte image pode-se consultar o que indica o instituto de registo e notariado.

Produção independente registo
Produção independente registo


Numa produção independente não há pai logo no momento do registo a criança fica registada sem pai, ficando apenas a mãe com o poder parental.

Em Portugal o estado tenta fazer o possível para encontrar o pai de uma criança. Quer no caso da utilização de um banco de esperma quer no caso de utilização de um dador de esperma anónimo de facto não existe um pai e não é possível ser encontrado portanto qualquer processo de averiguação que possa eventualmente ser aberto deverá ser arquivado passado algum tempo.

Produção independente valor

A partir do momento que uma mulher pensa em ser mãe solteira por produção independente uma pergunta invariavelmente vem à cabeça: Quanto custa uma produção independente?

A resposta a esta pergunta não é totalmente linear porque o preço varia de clínica de inseminação para clínica e também depende da técnica de procriação medicamente assistida utilizada. Para tentar dar uma ideia do preço consultamos o preçário de algumas clínicas de infertilidade e na imagem seguinte mostramos os valores médios.

Produção independente preço
Produção independente preço

Na imagem em cima é possível verificar o preço dos procedimentos: Inseminação intra-uterina com dador, FIV/ICSI com doação de esperma, e Maternidade Partilhada (método ROPA). Estes são os procedimentos médicos mais comuns. Os preços são por cada tentativa, e.g.: se num ciclo não engravidar pode ter de pagar um novo procedimento no próximo ciclo. Os preços são meramente indicativos e não incluem procedimentos adicionais executados na maior parte dos casos como a estimulação dos ovários, consultas e medicação a tomar.

Devido ao custo elevado muitas mulheres optam por fazer uma inseminação artificial caseira com um dador de esperma anónimo dado que essa hipótese a gratuita, não envolve procedimentos médicos invadidos e não requer tanta burocracia.

Questões frequentes

Como se preparar para uma produção independente?

O mais importante antes sequer de se interrogar na sua cabeça produção independente como funciona? É pensar se quer mesmo ser mãe, se tem as condições necessárias (tempo, dinheiro, disponibilidade) e reflectir um pouco sobre todo o assunto. Após isso e se de facto quer ser mãe, deve ir ao medico dizer que quer engravidar e fazer todos os testes preconcepcionais, se for fazer o procedimento numa clínica deverá então marcar e dar inicio a todo o procedimento, se for utilizar um dador de esperma para inseminação artificial caseira nessa altura deve iniciar o contacto com o dador.

Com quantos anos fazer produção independente?

Não existe uma idade ideal. Desde que seja maior de idade, tenha o desejo de ser mãe e tenha todas as condições para sustentar um filho pode dar início ao procedimento. Se já tiver 30 anos deve tentar fazer o procedimento o quanto anos porque nessa altura a fertilidade está a diminuir a cada dia que passa

O que é preciso para fazer uma produção independente?

O principal ingrediente necessário é mesmo ser mãe! O segundo é tempo e dinheiro para poder criar um filho da melhor forma.

Como registar filho de produção independente?

Em Portugal quando a mulher não é casada com um homem e nenhum homem declara no momento registo que é o pai da criança o registo da criança não indica o nome do pai.
Fonte:
https://tenhoumacrianca.gov.pt/registo-e-documentos
https://www.irn.mj.pt/sections/irn/a_registral/registo-civil/docs-do-civil/estabelecimento-da/

Como as religiões vê produção independente?

O que a igreja diz depende de igreja para igreja e da interpretação dos textos sagrados da respectiva religião. Caso siga alguma religião e tenha muito o desejo de ser mãe mas ao mesmo tempo não tem a certeza se estará a ir contra os princípios da sua religião, o melhor será falar com o seu guia espiritual/padre/pastor explicar o seu desejo de ser mãe e perguntar-lhe qual a melhor forma de fazer o procedimento sem ir contra os princípios em que acredita.

Como é ser mãe de produção independente?

Uma mãe que concebe o filhos desta forma não é nem mais nem menos que todas as outras mães. É alguém que ama o seu filho como as outras mães. Normalmente são mulheres com muito garra dado que criar um filho sozinho não é fácil. Os filhos acabam por trazer-lhes uma nova alegria de viver e dão todo um novo sentido à sua vida.

Como é ser filho de produção independente?

Um filho concebido sem pai pode ser uma criança feliz e ter um desenvolvimento excelente, normalmente dado que não existe uma presença masculina ficam mais chegados à mãe.